20.12.2015 DODGE D100 1974

Clique sobre a foto para ver em tamanho maior
A Obscura Dodge D100 e seus parentes americanos e argentinos.
Fonte:falando-sobre-carros.blogspot.com.br


A DODGE D100 não se firmou no mercado de picapes.
Se hoje existe a Ford Courier como "carro-fantasma" da Ford e até a récem:Chevrolet Astra Sedan,Renaut Scénic e Fiat Marea todos viraram carro fantasma,mas há outro carro obscuro no Brasil e esse é antigo,em 1967 a Chrysler compra a Simca e em outubro de 1968 ela mostra a picape Dodge D100 junto com os caminhões e em março de 1969 ela começava a ser fabricada era igual ao modelo americano da época,ela chegou em duas opções de acabamento:Básica e Luxo,a Luxo teria o futuro volante do Dart,única opção de cabine:simples,única opção de câmbio:manual de três marchas com alavanca na coluna,única opção de motor era estreava no Brasil o famoso motor Chrysler 318V8 LA com bloco e cabeçote de ferro,comando de válvulas no bloco acionado por varetas e carburador de corpo duplo,o seu diâmetro era de 99,3mm e o curso de 84,1mm,a taxa de compressão era de 6,85:1 e sua cilindrada total era de 5212cm3 e com isso gerava 41.5KGFMa2400RPM e 198CVa4400RPM era a picape nacional mais potente,a F100 na época gerava 164CV no seu V8 e a C14/15 da Chevrolet com o seus seis cilindros gerava 151CV,mas a sua suspensão era dependente tipo eixo-rígido com feixe de molas nos dois eixos,os freios eram a tambor e a capacidade de carga era de 700KG.


A picape D100 chegava ao mercado com o motor 318V8 de 5.2 litros e 198CV.
A potência da picape era ótima,mas os freios e suspensão não davam conta,capotamento e acidentes eram constantes,foram fabricadas 2167 unidades e segundo historiadores só 100 unidades estão vivas e a maioria delas foi destinada a frotas públicas e depois sucateadas,ela mede 4.90metros de comprimento e 2.90metros de entre - eixos,os caminhões seguiram firme,mas tão firmes que seguem vivendo até hoje debaixo da cabine dos caminhões Volkswagen(Worker).
No Brasil Ford e GM e até a Willys mesmo depois da compra da Ford seguiu sendo estrela do mercado nacional de picapes(F75 vendia mais que a F100),Toyota e Volkswagen com Bandeirante e Kombi respectivamente eram quadjuvantes e a Chrysler era fantasma do segmento,em outubro de 1969 na linha 1970 nada muda e seguiu sem alterações durante a sua vida,estouro a crise do petróleo em outubro de 1973 e aí a picape foi ladeira a baixo de vez nas vendas e seguiu assim até outubro de 1975 quando deu adeus,mesmo antes de ser comprada pela Volkswagen a Chrysler só voltaria a produzir uma picape no Brasil em 1998 com a Dakota.

Nos EUA ele não é um picape obscura,mas antes havia Série C da Dodge com cinco opções de motores,o Flathed de seis cilindros com 120CV e duas opções de V8 a primeira era o Firepower 331 de 5.4 litros com 175CV e o nosso velho conhecido Chrysler 318 LA com 5.2 litros e 200CV.

A antiga Série C da Dodge os motores eram o seis clindros e 120CV,o 331V8 de 5.2 litros e 175CV e o 318V8 de 5.2 litros e 200CV.
E em outubro de 1961 na linha 1965 chegava a primeira geração da Série D e era estréia do chassi AD da Chrysler,ela veio só com câmbio manual de três marchas com alavanca na coluna ou automático de duas marchas e nos motores duas opções de motores seis cilindros o Slant Six 170 com 2.8 litros,o seu diâmetro é de 86,4mm e o curso de 79,4mm o que totalizava 2698cm3 e com isso gerava 17.4KGFMa2400RPM e 101CVa4200RPM e o Slant Six 225 com 33.7 litros,ele manteve o mesmo diâmetro mas o curso foi para 104,8mm o que totalizava 3685cm3 e com isso gerava 22KGFMa2400RPM e 145CVa4400RPM e chegava mantinha o 318V8 de 5.2 litros da família LA é o nosso velho conhecido que agora gerava 43KGFMa2400RPM e 200CVa4400RPM


A primeira geração da D100 chegava ao mercado,dois motores seis cilindros o 170 de 2.8 litros e 101CV e o 225 de 3.7 litros e 145CV e o V8318 de 5.2 litros e 200CV,mais tarde chegava o 426V8 de 7 litros e 365CV.

em outubro de 1962 na linha 1963 nada muda,em outubro de 1963 na linha 1964 chegava o V8 426 da família RB com seu diâmetro de 108mm e curso de 95mm,que totalizava 6998cm3 e com isso gerava ótimos 65KGFMa2600RPM e 365CVa4800RPM.
em outubro de 1964 na linha 1965 chegava a segunda geração que nós conheceríamos aqui no Brasil,agora o câmbio automático também era três marchas e nos motores,o Slant Six 170 e 225 de 2.8 litros e 3.7 litros respectivamente continuavam sem alterações,nos V8 chegava o 273V8 de 4.5 litros da família LA,com isso gerava 35KGFMa2600RPM e 180CVa4400RPM e o 318V8 de 5.2 litros continuava como estava.

A nova Dodge D100 chegava ao mercado com o motor seis cilindros 170 e 225 herdado da geração anterior,assim com o 318V8 de 5.2 litros.
Em outubro de 1965 na linha 1966 nada muda,em outubro de 1966 na linha 1967 está sem alterações,em outubro de 1967 na linha 1968 ela ganha nova grade dianteira é justamente o modelo que conhecemos no Brasil e com alterações,o seis cilindros 170 de 2.8 litros mantém o torque e agora gerava 115CVa4000RPM e o seis cilindros 225 de 3.7 litros ganhou novo comando de válvulas e foi a 33KGFMa2400RPM e 155CVa4000RPM,nos V8 o 273 continuava como estava e o 318V8 LA agora gerava 5.2 litros com 45KGFMa2400RPM e 230CVa4400RPM.

A Série D estreava nova grade e junto com ela o seis cilindros 170 de 2.8 litros foi a 115CV,o seis cilindros 225 de 3.7 litros foi a 155CV,nos V8 o 273 continuava como está e seus 4.5 litros,o 318V8 de 5.2 litros foi a 230CV.
Em outubro de 1968 na linha 1969 nada muda,em outubro de 1969 na linha 1970 chegava série especial The Dude e junto com ela chegava o motor 383V8 de 6.3 litros da família RB o seu diâmetro era de 108mm e o curso era de 74mm e com isso gerava ótimos 51.8KGFMa2500RPM e 258CVa4000RPM.


A Série The Dude tem o motor 383V8 de 6.3 litros que gerava ótimos 258CV.

Em outubro de 1970 na linha 1971 nada muda,em outubro de 1971 na linha 1972 chegava a terceira geração e junto com ela potência e torque em valores líquidos,o seis cilindros 170 de 2.8 litros gerava 15KGFMa2400RPM e 94CVa4400RPM,o seis cilindros 225 de 3.7 litros gerava 20.2KGFMa2400RPM e 116CVa4400RPM e o V8 273 de 4.5 litros saiu de cena,o 318V8 de 5.2 litros agora gerava 33.7KGFMa2400RPM e 172CVa4000RPM e o 383V8 de 6.3 litros da família RB gerava 41.4KGFMa2500RPM e 206CVa4000RPM e agora contava com câmbio manual de quatro marchas com alavanca no assoalho.

A nova Série D trazia a potência em valores líquidos,o seis cilindros 170 de 2.8 litros gerava 94CV,o 225 de 3.7 litros gerava 116CV,o 318V8 de 5.2 litros gerava 172CV e o 383V8 de 6.3 litros gerava 206CV e mais tarde chegava o 4.0 Diesel seis cilindros da Mitsubishi com 105CV
E nessa geração a suspensão passava a ser independente por braços duplos triangulares,em outubro de 1972 na linha 1973 ela trocava o 383V8 pelo Chrysler LA 360V8 de 5.9 litros,o seu diâmetro era de 101,6mm e o curso de 90,9mm e com isso gerava 42KGFMa2400RPM e 180CVa4000RPM,em outubro de 1973 na linha 1974 nada de alterações,em outubro de 1974 na linha 1975 chegava o utilitário esportivo RamCharger e o seu irmão Plymouth TraiDuster(não confindir com o Renault Duster) ele chegou em quatro versões de motores,o seis cilindros 225 de 3.7 litros e três V8,o 318V8 de 5.2 litros ambos já citados na picape,o 360V8 de 5.9 litros também já citado na picape e o 440V8 de 7.2 litros o seu diâmetro era de 110mm e o curso de 108mm o que totalizava 7198cm3 e com isso gerava com 52KGFMa2500RPM e 235CVa4000RPM


O utilitário esportivo RamCharger chegava ao mercado e os motores eram o seis cilindros 225 de 3.7 litros e os V8 318 de 5.2 litros e 360 de 5.9 litros que já foram citados na picape e o 440V8 de 7.2 litros com 235CV.

A versão Plymouth que foi chamada TraiDuster e os mesmos motores da RamCharger.


Esse utilitários eram respostas a Blazer da GM e ao Bronco da Ford ,em outubro de 1975 na linha 1976 também não muda,em outubro de 1976 na linha 1977 nada muda,em outubro de 1977 na linha 1978 chegava a Li´l Red Truck Express com caçamba de para-lamas alargados e duas opções de motores e não eram qualquer motores erams o V8,o primeiro era o 400 ele tinha diâmetro de 110mm e curso de 96mm e com isso totalizava 6890cm3 e com isso gerava 48KGFMa2500RPM e 200CVa400RPM e o mesmo 440V8 de 7.2 litros da família RB que já citei no RamCharger e as picapes pela primeira vez ganham um motor á diesel era o seis cilindros da família DR de origem Mitsubishi e com isso gerava 23.4KGFMa2200RPM e 105CVa3500RPM.


A Li´l Red Truck chegava ao mercado com dois motores V8,o 400 de 6.9 litros e com isso gerava 200CV e o 440V8 de 7.2 litros que gerava 235CV.
Em outubro de 1978 na linha 1979 nada muda,em outubro de 1979 na linha 1980 nada muda e em outubro de 1980 na linha 1981 ela dá adeus e é substiuída pela Ram.A Ram chegava ao mercado com a mesma plataforma AD mas com uma nova casca e duas opções de tração:além da traseira havia a 4x4 e sendo que as versões de tração traseira eram chamadas D e as 4x4 W e três opções de carga:150,250 e 350 e estreava duas opções de cabine:além da simples,ela tinha agora opção de cabine dupla,nos motores o velho Slant Six 225 de 3.7 litros continuava nessa geração só que agora era "estrangulado" para 18.2KGFMa2400RPM e 95CVa4400RPM,o 318V8 LA de 5.2 litros agora gerava 36KGFMa2400RPM e 140CVa4400RPM e o 360V8 de 5.9 litros da família LA agora gerava 42KGFMa2400RPM e 170CVa4400RPM e além da picape chegava a segunda geração da RamCharger agora só com os motores 318 e 360 V8 da família LA.

A Dodge Ram chegava ao mercado e os motores eram o Slant Six 225 de 3.7 litros e 95CV,o 318V8 de 5.2 litros e 140CV e o 360V8 de 5.9 litros e 170CV,em 1988 estréia o 3.9V6 de 125CV e o 318V8 ganha injeção eletrônica e vai a 170CV.

Aqui o utilitário esportivo RamCharger com os mesmos 318V8 de 5.2 litros 360V8 de 5.9 litros que citamos na picape,mais tarde ambos os motores recebem injeção eletrônica e com isso o 318V8 vai a 170CV e o 360V8 vai a 190CV e anos 1990 ganha melhorias nos motores.


Pela primeira vez a picape ganha opção de cabine dupla.
Em outubro de 1982 na linha 1983 nada muda,em outubro de 1983 na linha 1984 também e seguiu assim até outubro de 1987 na linha 1988 quando o Slant Six 225 de 3.7 litros deu adeus,foi substuído pelo 239V6 é velho 318V8 com dois cilindros a menos inclusive mantém o mesmo diâmetro x curso e com isso gerava 26.9KGFMa2400RPM e 125CVa4400RPM e o 318V8 ganhava injeção eletrônica e com isso gerava 35.7KGFMa2400RPM e 170CVa4400RPM,em outubro de 1988 na linha 1980 ela ganhava nova grade dianteira e faróis e junto com ela alterações de motores:o recém-lançado 239V6 de 3.9 litros era mantido,assim como 318 com injeção eletrônica e era vez do 360V8 de 5.9 litros ganhar injeção eletrônica e com isso foi a 43KGFMa2400RPM e 190CVa4400RPM e estreava o Cummins 5.9 Turbo Diesel intercooler de seis cilindros em linha e comando de válvulas no bloco que gerava ótimos 55.1KGFMa1500RPM de torque e 160CVa3000RPM,o motor á diesel voltava depois de oito anos de ausência do mercado.

A Ram é reestilizada e nos motores além do 239V6 de 3.9 litros e do 318V8 de 5.2 litros,estreava o 360V8 de 5.9 litros com injeção eletrônica e 190CV e o Cummins 5.9 Turbo Diesel que gerava 160CV,mais tarde chegava os cabeçotes de fluxo cruzado para os V6 e V8.
Em outubro de 1989 na linha 1990 nada muda,em outubro de 1991 na linha 1992 ela ganha mais uma opção de cabine que a estendida e nos motores o V6 239 de 3.9 litros ganha cabeçotes de fluxo cruzado,assim como o 318V8 de 5.2 litros e são rebatizado de Magnum e com isso o 3.9 mantinha o torque de 26.9KGFM mas agora esse torque chegava a 3200RPM e 180CVa4400RPM e o 5.2V8 agora gerava 38.7KGFMa3200RPM e 230CVa4400RPM,o 360V8 de 5.9 litros e o diesel continuavam sem alterações.


A Cabine estendida chegava ao mercado,junto com ela chegava o cabeçote de fluxo cruzado ao 239V6 de 3.9 litros com 180CV e o 318V8 de 5.2 litros de 230CV ambos rebatizado de Magnum,o 360V8 de 5.9 litros ficava sem alterações e um ano depois ganha cabeçote de fluxo cruzado e com isso passava a gerar 230CV mas tinha mais torque e o diesel não muda.
Em outubro de 1992 na linha 1993 é vez do 360V8 de 5.9 litros ganhar os cabeçotes de fluxo cruzado e ser rebatizado de Magnum e com isso ganha mais torque com 45KGFMa3200RPM e 230CVa4400RPM,em outubro de 1993 na linha 1994 ela ganha nova plataforma e depois de mais de 30 anos a Chrysler muda a plataforma das picapes nos EUA.

Na Argentina as picapes Dodge começaram com a versão local da Série C chamada por lá de D100 vinha em CKD dos EUA em outubro de 1959 e a única opção de motor era o antigo Chrysler Flathed de seis cilindros com 3.8 litros,o seu diâmetro era de 82,5mm e o curso era de 107,5mm que totalizavam 3774cm3 e com isso gerava 28.6KGFMa1600RPM e 120CVa3600RPM.

A antiga picape da Chrysler chegou a ser feita na Argentina com motor seis cilindros de 3.8 litros e 120CV.
Em outubro de 1961 na linha 1962 em simultâneo com os EUA chegava a D100 com a estréia da plataforma AD na Argentina(na verdade chassi sobre longarinas) e no câmbio manual de três marchas com alavanca na colunae no quesito motor o velho seis cilindros teve o curso do pistão alongado para 117,5mm e com isso a cilindrada total era de 4106cm3 e com isso gerava 29.9KGFMa2600RPM e 125CVa3600RPM era o velho Flathead da Chrysler que ganhava produção local e cilindrada aumentada.

A Dodge D100 ganhava uma geração atualizada com os americanos e o motor agora era o seis cilindros de 4.1 litros e 125CV.
A revista para-brisas testou a picape em outubro de 1963 ela foi de 0a100KM por hora em 27.6segundos,chegou a 137KM por hora e o seu consumo médio foi de 6.6KM por litro.Em outubro de 1961 na linha 1962 nada muda,em outubro de 1962 na linha 1963 ela ganhava a opção cabine dupla com três portas

A cabine dupla com três portas chegava ao mercado.

,em outubro de 1963 na linha 1964 nada muda,em outubro de 1964 na linha 1965 assim com o modelo americano ela é reestilizada,além da mudança visual o velho seis cilindros é substiuído pelo Slant Six 225 de 3.7 litros que gerava 28.5KGFMa2400RPM e 137CVa4000RPM.

A D100 é reestilizada com nova grade dianteira e chegava o motor Slant Six 225 de 3.7 litros e 137CV,mais tarde chegava a opção com maior capacidade de carga que era a D200 e de tração:a 4x4 e o motor Slant Six nessa configuração gerava 147CV e o Perkins 3.3 á diesel de 73CV.
Em outubro de1965 na linha 1966 nada muda e ela é testada pela revista para-brisas no mês seguinte:0a100KM por hora em 20.1segundos,chegou a 134KM por hora e o seu consumo médio foi de 7KM por litro,em outubro de 1966 na linha 1967 chegava a D200 e o motor Slant Six 225 de 3.7 litros para essa configuração de carga gerava 29KGFMa2400RPM e 147CVa4000RPM,em outubro de 1967 na linha 1968 nada muda,em outubro de 1968 na linha 1969 chegava a opção DP 100 ou DP 200 com tração 4x4,nos motores duas estréias o Perkins 3.3 á diesel que tinha diâmetro de 91,4mm e curso de 127mm que totalizava 3333cm3,produzia 17,4:1 de taxa de compressão e gerava 23.5KGFMa1000RPM e 73CVa3000RPM e importado do México o Chrysler LA 318V8 de 5.2 litros que por lá gerava 42.7KGFMa2400RPM e 202CVa4600RPM e com os motores V8 a grade era do modelo americano de 1968 e do modelo brasileiro.




Chegava o V8 318 de 5.2 litros a D100 argentina e com isso gerava 202CV.
Em outubro de 1969 na linha 1970 nada muda e seguiu sem alterações por mais três anos,estourava a crise do petróleo,mas alí não foi grave como o caso brasileiro devido ao motor á diesel,no ano seguinte as versões seis cilindros e á diesel ganham uma nova grade dianteira que é igual aos americanos de 1965 e lembrando que o modelo argentino 1965 é igual a Fargo canadense.

Uma nova grade dianteira chega as picapes com motores seis cilindros e á diesel que continuavam com antes.
Em outubro de 1975 na linha 1976 nada de alterações e em outubro de 1979 a Chrysler argentina é comprada pela Volkswagen e imeditamente a a Volkswagen tira as picapes argentinas de produção.

A Dodge D100 ainda é um "carro-fantasma" no Brasil,mas na Argentina e nos EUA ela é bem conhecida e no segundo o chassi dela serviu a primeira geração da Ram que hoje é marca independente da Chrysler.
 
 
Home | O Clube | Galeria de Fotos | Eventos | Notícias | Recados | Cadastre-se | Classificados | Veículos | Contato